close
PicsArt_06-26-04.37.32

Foi a época que o tricot era coisa de vovó. Com a chegada do inverno mais e mais grifes estão apostando nas peças de tricot para compor a estação, e não apenas para aquecer naqueles dias mais friozinhos mas também como um truque de stylish.

Nós separamos  algumas dicas incríveis das tendências desse ano para vocês arrasarem. Essa estação chegou com tendências mais sóbrias como o preto, branco, cinza e muitas peças bicolores em P&B, Ferrugem e preto e há também a presença forte do marsala mesclado com outras cores. Normalmente essas cores aparecem em listras verticais, uma forte tendência 2017 que dão um ar mais divertido e moderno para o look.

Animale
Animale

Com relação a modelagem a tendência é Oversized, com presença de blusões, casacos e o grande destaque: As capas, que já são queridinhas das blogueiras e famosas. As peças apresentam texturas mais macias e confortáveis com a presença marcante de pele fake para compor o acabamento.

Mas o tricot não se limita a casacos não. Para blusas e vestidos a novidade fica por conta do decote ombro a ombro, super cool e da volta da gola alta, tendência dos anos 90 que chegou com tudo. Vestidos com modelagem mais reta ou mesmo conjunto de cropped e saia plissada em comprimento midi têm feito a cabeça das fashionistas de plantão.

O legal é saber jogar com as texturas e cores, combinar peças lisas com estampas geométricas ou listradas, misturar cores quentes e frias também tá valendo nessa temporada. Para looks mais românticos use com botas de veludo ou botas meia e para visual para hard harmonize o tricot com o couro e combat boots.

Inspire-se nas famosas:

A história do tricot

Ninguém sabe como o tricô foi inventado mas historiadores acreditam que o tricô nasceu no mediterrâneo e se espalhou pela Europa e o resto do mundo. As peças de tricô mais antigas que existem foram descobertas no Egito e são de 1200 d.C. O tricô era feito pelos homens, enquanto as mulheres se incumbiam de produzir o fio com a roca de fiar. Também era feito sempre em círculo por ser mais fácil, pois o trabalho em círculo requer somente um dos pontos básicos: o ponto meia. Até hoje as senhoras das ilhas Shetlands trabalham com 5 agulhas, necessárias para o tricô circular, e nunca com duas como estamos acostumadas.

Os mais famosos tipos de tricô vêm Ilhas Britânicas (Ilha Jersey, Fair, Ilhas Aran, Ilhas Shetland). Apesar das ilhas serem próximas umas das outras, cada população desenvolveu sua característica própria e marcante de tricotar.

A origem mais provável vem da técnica de costura chinesa, uma forma primitiva de bordado que foi difundida no Oriente Médio e chegou à Europa por volta de 1700. Mas o crochê só começou a ser fortemente difundido em 1800. Os escritos mais antigos que se tem datam do ano de 1812 e a primeira receita de crochê publicada apareceu na revista holandesa Penelope em 1824. No século 19, na França, no Reino Unido e na América, o crochê começou a ser usado como um substituto mais barato para as outras formas de rendas. O preço da linha de algodão industrial estava baixando e, apesar de as rendas de crochê gastarem mais linha do que as rendas de bilro e outras, o crochê era mais rápido de fazer e mais fácil de ensinar. Durante a Grande Fome Irlandesa, freiras Ursulinas ensinaram mulheres e crianças locais a fazer crochê. O trabalho delas era mandado por toda a Europa e América e eram comprados pela beleza e também por questões caridosas para ajudar aquela população faminta.

Comentários do Facebook
Tags : capacasacoinvernoombro a ombropeletendênciatrend alertTricot
Natália Dias

Autor Natália Dias

Brasiliense, Bióloga de formação, aprendiz de viajante e apaixonada por moda e tendências. Acesse nosso perfil no Google+

Deixe um comentário